sábado, 10 de abril de 2010

antúrios

ANTHURIUM ANDREANUM


CULTIVO

Luminosidade:

Ao receber a sua planta, retire-a da embalagem plástica e coloque-a em um local bem iluminado e bem ventilado, de preferência onde a planta possa receber o sol da manhã. Quando a planta está sem flores, é preferível deixá-la na área ou no jardim num lugar bem protegida do sol do meio dia (por exemplo: de baixo de uma árvore).


Substrato

Sendo o Antúrio uma epiphyta, ela necessita de um substrato grosso dentro do vaso. Nós usamos uma mistura de fibra de coco, com bagaço de cana decomposto e casca de pinus. Recomendamos adubar uma vez por mês, com um adubo não muito forte. Use adubo mineral com o teor de Nitrogênio, Fósfora e Potássio é similar (por exemplo N:P:K = 18:18:18 ou N:P:K = 10:10:10) na medida de meia colher de chá de adubo puro por litro de água. Se não achar algum adubo onde consta o teor dos elementos, pode usar um adubo recomendado para violetas, usando a metade da dosagem recomendada para violetas. Sugerimos usar água de chuva ou mineral; em caso de água clorada, ferver para eliminar o excesso de cloro e deixar esfriar. Pode ser dado também adubo orgânico, como torta de mamona, que pode ser colocado sobre o vaso 1 vez por ano (1 colher de chá de adubo por vaso).


Irrigação e Adubação

Recomendamos adubar uma vez por mês, com um adubo não muito forte. Use adubo mineral com o teor iguais de Nitrogênio, Fósforo e Potássio ou similar (por exemplo N:P:K = 18:18:18 ou N:P:K = 10:10:10) na medida de uma colher de chá de adubo puro por litro de água. Se não achar algum adubo onde consta o mesmo teor dos elementos, pode usar um adubo recomendado para violetas, usando a metade da dosagem recomendada. Recomendamos o uso de água de chuva ou mineral; em caso de água clorada, ferver para eliminar o excesso de cloro e deixar esfriar até atingir temperatura ambiente. Pode ser dado também adubo orgânico, como torta de mamona, que pode ser colocado sobre o vaso uma vez por ano (1 colher de chá de adubo por vaso).


Florada

Quando observamos bem cada flor, percebemos que a flor sai junto com uma folha de um mesmo invólucro na base da folha velha. Isso quer dizer que, se a planta se sente bem, pode formar uma flor com cada nova folha. Cada ciclo demora mais ou menos 2 meses.


Pragas e Doenças

O Antúrio é uma planta bastante resistente, mas pode ser atacada por varias pragas e doenças, algumas delas podem ser fatais. Em nosso cultivo, combatemos isso com medidas de higiene e controle de clima; também não permitimos visitas para evitar contágios, porque os visitantes podem trazer doenças às plantas. O mais importante na prevenção de doenças é adquirir mudas ou plantas formadas de origem confiável e conhecida. O Antúrio pode ser alvo fácil de alguns insetos (lagartas, lesmas ou caracóis). A presença de lesmas ou caracóis na planta é sinal de excesso de umidade, e é fácil notar sua presença; ela deixa um rastro bem visível , como se fosse feito uma listra de cola nas folhas ou flores; as lagartas, produzem excremento, fácil de notar também. A melhor maneira de combate é retirando-os manualmente. Podridão nas raízes: o Antúrio é uma planta que gosta muito de água, mas mesmo assim pode perder as raízes por excesso de umidade. A melhor forma para combater esta doença (pythium ou phytophtera), é diminuir a água. Em caso extremo (quando não sobra mais nenhuma raiz) pode se replantar a muda, retirando todas as partes podres do pé da planta. Cochonilhas são insetos como os pulgões, muito difícil de matar, porque são protegidos por uma camada de cera. A melhor maneira de combate-los é retirando a casca com um palito, e matar o inseto. Outra maneira é, preparar uma mistura com sabão neutro, com uns 10-20% de álcool em água e borrifar as plantas com essa mistura. Esse método também serve para controle de outros insetos.
copiado do site
http://www.sitiokolibri.com.br/anth_cultivo.asp

10/04/2010




























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário